Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

nada está escrito

O nada é tudo o que enche um vazio abissal.O silencio engolido pela vontade de gritar. Um pensamento que se perde antes de ser entendido. Escrevo...para para preencher vazios...onde ainda cabem as palavras [ as minhas].

aos que não entendem

02.03.24 | nada está escrito

sete.JPG

Não devo explicações a ninguém mas já li acusações sobre ter apagado o blogue, sobre ausentar-me sem dizer nada. Esta escada eram os sete degraus (eu e 6 irmãos).  Quem me leu sabe a minha dor de ter perdido um irmão que estava na Alemanha, no verão passado.

Neste tempo de ausência, dor, raiva em que apaguei o blogue perdi mais dois irmãos no mesmo acidente em França. Era quase natal...era. Não consigo descrever os meus sentimentos. Senti que não tinha forças para continuar, fiquei um mês de baixa, fechada, encerrada em mim e na dor que me dilacerava a alma.

Hoje de sete filhos, estamos dois vivos. Os outros sei que estão em paz noutra plataforma de vida... num céu estrelado, mesmo em dias nublados.

O blogue não é a minha história de vida, para isso escrevia um diário, escrevo muito, rascunhos, esboços, folhas e folhas de papel que guardo para quem sabe um dia deixar voar com o vento...hoje escrevo em todos os cantos dos livros que vou conseguindo ler, na minha agenda, pensamentos que me ocorrem, mas que ficam comigo. ( do que é pessoal, partilho o que entendo).

Pedi a um amigo para me permitir fazer um link do blogue dele, porque ele tem o dom da escrita e eu estimo-o muito e nem precisamos de mais de duas palavras para nos entender. Há pessoas assim, que conhecem os nossos códigos de alma. Aguardo que me autorize ou não, para complementar as palavras que as lágrimas não me deixam escrever.

Não emitam juízos de valor, antes de calçarem os sapatos dos outros, antes de crescerem em maturidade, antes de pensarem só em vós.

Seria injusto não deixar aqui uma palavra de apreço ao José (cheia) o único seguidor dos muitos que fui buscar e me recebeu sem nada perguntar, com uma alegria genuína, pura. Obrigado José. São assim os grandes Homens, os que já viveram muitas lutas e dores.

 

6 comentários

Comentar post